24 / 10 / 2017
Redução de verbas do Fundão motiva reunião na Defensoria

A direção do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), da UFRJ - conhecido como Hospital do Fundão - apresentou o crítico cenário da unidade à Defensoria Pública da União (DPU), nessa segunda-feira, 23. A reunião foi convocada pelo CREMERJ, que reafirmou a necessidade urgente de o Poder Público buscar soluções para a saúde.

Diretor do Fundão, Eduardo Côrtes informou ao defensor Daniel Macedo que em 2015 e 2016, o hospital teve retidos pela reitoria R$ 5,6 milhões, o que levou à redução de atendimentos e fechamento de serviços.

"Já paramos de realizar cirurgias de vesícula e hérnia, por exemplo. Temos um setor novo, com 19 leitos de CTI e 43 de enfermaria cirúrgica que não podem ser utilizados por falta de pessoal. Se o Ministério da Educação fizesse a contratação do pessoal necessário, poderíamos retomar os transplantes de fígado", pontuou.

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, frisou a preocupação com financiamento da unidade, que é fundamental tanto para o atendimento à população como para a formação de profissionais de saúde qualificada.

"O Fundão tem uma enorme importância para o Estado, com serviços de excelência, referência para várias doenças, além de seu potencial formador em várias áreas da saúde, como internos e residentes em medicina. As dificuldades da unidade se refletem nos pacientes, mas também no futuro da qualidade do atendimento", salientou.

Daniel Macedo afirmou que analisará os documentos entregues pelo diretor e atuará para garantir o pleno funcionamento da unidade. "É inquestionável a relevância do HUCFF para a sociedade e não podemos deixar que seu desmonte se perpetue. A Defensoria fará tudo o que puder para restabelecer o hospital."

A diretora da Divisão Médica do HUCFF, Miriam Maia, também participou do encontro.